BLOG

Casa Cor Santa Catarina 2016

23/11/2016
Casa Cor Santa Catarina em Patrimônio Histórico
 
Texto: Gisela dos Santos
Fotos: Lio Simas
 
 
Um endereço bacana é meio caminho andado para o sucesso de Casa Cor em qualquer lugar ...Digo isso com respaldo de muitos milhares de quilômetros rodados no evento por aqui, em outras capitais do Brasil e da América Latina. Partindo daí pode-se dizer que a organização do evento este ano acertou em cheio na escolha do imóvel. A casa que pertenceu ao historiador Osvaldo Cabral dos anos 50 desde sempre atraiu olhares e a curiosidade de quem passa pela Esteves Jr.  Como muita gente já parei ao longo dos anos algumas vezes pra observar os arcos, colunas, azulejaria e outros ornamentos do estilo colonial espanhol da fachada da casa.
 
Por coincidência já até cogitei com outros organizadores a possibilidade de fazer uma mostra no local (não faço parte da equipe de evento algum mas sou palpiteira de plantão sempre atenta as possiblidades e torcendo para bons eventos tanto de Casa Cor quanto em Casa Nova em seu período) Não deu certo na época, deu certo agora   e este é o momento pra se conhecer um imóvel que é um ícone do patrimônio histórico no centro  da capital de SC. Casa tombada desde os anos 80 e revitalizada  para o evento.
 
 
 
A arquitetura expressiva da casa inspirou os expositores ...não que todos tenham seguido na batida retrô do imóvel , mas  valorizar as características da arquitetura original como:  o pé direito altíssimo, as aberturas, o belíssimo piso de madeira foi ponto de partida dos projetos. 
 
Dentro de casa , Juliana Pippi assumiu o maior ambiente. Fez da biblioteca de Osvaldo Cabral que um dia acomodou 8 mil livros, um living. É  A Sala dos Poemas.  Paredes forradas de veludo verde musgo conferem um tom mais austero para o espaço ,o que contraria as expectativas do público (Juliana é lembrada por projetos mais joviais , urbanos e coloridos) , mas é muito coerente com a história da sala .  O bom do design nacional de diversos períodos compõe o espaço junto com o sofá curvo - tendência ? Sim só que não  ... seja como for Adriana Tiezzi usa um modelo de sofá curvo no hall  e Tufi Mussi no living bar ( e nós do Casa e Cia também amamos este modelo) .
 
 
 
Marco Medeiros e Rose de Campos assumiram a varanda e tiraram partido das influências mouras da arquitetura colonial espanhola da casa. Os arcos valorizam os sofá e nas paredes filetes remetem a ideia dos muxarabis ... decor rompe com conceito minimalista . " Mais é mais e menos é sem graça"  (frase não é minha mais eu amo).  Muitos adornos, almofadas e mais almofadas... Muitas estampas, e mais cristais. Não tem café no bule, mas tem uma máquina de café expresso....  frutas frescas de verdade e flores de verdade... e daí a gente passa por ali e nem lembra que o país ainda  está em crise. Não sei se era intenção , mas chamo isto de escapismo. A válvula de escape que remete a ideia de prosperidade e abundância...
 
 
 
 
MUITAS INTERPRETAÇÕES, pluralidade de estilos. O bom desta edição de Casa Cor é que as fórmulas não se repetem. Mais do que nunca a tendência é não seguir tendência...
 
E na outra ponta do evento o escritório Marchetti + Bonetti propõe na Cabana, uma moradia nômade. Arquitetura sustentável executada em madeira e chapas metálicas, o essencial para viver e locomover-se levando o habitat para diferentes lugares. A ideia é O MUNDO É O MEU QUINTAL (gosto disso!) e o depoimento: menos aquisições e mais vivências. Desapego. Estilo de vida espartano, riqueza em experiências.
 
 
Ainda falando de arquitetura não convencional o Pub também é destaque. Os arquitetos que fazem parte da Confraria do Chopp Honesto e que pertencem a diferentes escritórios locais mostram em Casa Cor que embora o Pub tenha nascido de uma brincadeira de amigos no bar eles não estão de brincadeira na mostra. Eles uniram cinco conteiners e criaram um bar gigante, levantando a questão do reuso, sustentabilidade e economia.
 
A área de gastronomia e entretenimento ganhou ainda café de Carol Porto e Isadora Maestri
e o restaurante de Sidnei Machado.
 
No entorno está o Jardim assinado por Juliana Castro , que virou ponto de encontro nos fundos do imóvel.
 
 
 
E na frente o Jardim de Outrora de Ana Trevisan. 
Ana criou uma praça de convivência com ar moderno e cosmopolita na entrada da casa..., moderno, mas sem entrar em conflito com a fachada. Ao contrario.  Espelho d'água e bancos só valoriam o conjunto. Vieram ainda balanços de corda pendurados nas árvores.
 
 
O evento tem duas cozinhas:
Jairo Lopes e Pedro Tessarolo assinam a cozinha do cotidiano e trazem soluções para espaços compactos e uma batida jovem e urbana.
 
Mariana Pesca encarregou-se da cozinha de receber...É a cozinha gourmet que caiu nas graças do brasileiro de alto poder aquisitivo.  Esta cozinha com status ganhou materias nobres e um fogão que é sensacão do espaço (cerca de 45 mil reais creio que frete incluído, faz diferença? ) 
 
 
 
Citei apenas alguns ambientes (não representam uma seleção de destaques ) pra falar das diferentes propostas apresentadas em Casa Cor SC. Há ideias para todos os estilos, para todos os gostos e orçamentos. Vale a visita. 
 
Casa Cor Santa Catarina
até 04 de Dezembro de 2016
Terça a Sexta das 15h às 21h
Sábado e Feriado das 13h às 21h
Domingo das 13h às 19h
 
ONDE?
Casa Dr. Oswaldo Cabral
Rua Esteves Junior, 546
Centro
Florianópolis – SC