BLOG

Casa Cor Rio de Janeiro

14/11/2016
CASA COR RIO NA GÁVEA
 
Nem vou fazer muito rodeio pra falar ... CASA E CIA adora o life  style do Rio de Janeiro.
A despretensão e a bossa, o  o jeito de ser, de viver e de morar do carioca tem aquele charme do chic simples que a gente tanto gosta. 
Em casa Cor Rio este ano, arquitetos e designers trouxeram diferentes interpretações deste jeito carioca de viver pra dentro de um casarão icônico na Gávea. A casa rosa, famosa no bairro, que pertence aos herdeiros da extinta companhia de aviação PainAir, recebeu dezenas de expositores.
 
 
 
 
Entre os destaques do evento selecionamos
 
Living e o hall da casa.
Paola Ribeiro combinou peças de antiquário, sofás  de linhas retas , telas de variados artistas e estilos (gosto de acervo eclético) muitas flores (de verdade lógico, gente de verdade gosta de flor de verdade)  tapetes (sobreposição de trama colorida  e zebra chamou atenção) abajures, livros... enfim fazendo um paralelo com a gastronomia  apostou na receita certa tradicional com   ingredientes de ótima qualidade... e mesmo sem apresentar nenhum discurso  conceitual ou reflexão, muita invencionice, roubou a cena logo na entrada da casa ...
 
 
 
 
Varanda 
Maurício Nóbrega tirou partido das imponentes colunas da arquitetura original da casa e criou vários ambientes de convivio.
 
 
 
 
Roca Estar 
Carlos Carvalho e Rodrigo Beze são arquitetos muito jovens que estão se destacando na mostra carioca com um uma batida expressiva  marcada  pela dramaticidade e ousadia. É Rio, e como já disse eles são jovens, mesmo assim bancaram a aposta num sofá de veludo...(O  Brasil curvou-se a incontestável elegância de deste material)  Curvo!  eis que não se fala mais na ditadura das linhas retas....a  curvatura dos assentos  é tendência. a gente não gosta de falar tendência, mas que é, é. 
Também veio arte, boa arte , estante com livros virados (naquela ideia do conceito passarela conveniente só para mostra) e uma iluminação muito envolvente.
 
 
 
 
 
 
Quarto do casal
Adriana Valle e Patricia Carvalho também apostaram nos em peças de antiquário e mesmo assim criaram um quarto versátil e muito leve, jovial. 
Não há mais espaço para colchas acetinadas e volumosas. A dica é roupa é cobrir a cama com tecidos naturais... 
 
 
 
 
Ainda no interior da casa elegemos como destaque a Sala de Receber. 
Erick Figueira de Melo trouxe bar e cozinha para o contexto social e criou vários ambientes de convívio com boas escolhas de design de diferentes épocas. Elegante sem ser pedante.
 
 
 
Entre os anexos
O Bangalô Deca de Marcia Muller foge daquela ideia de show room de ambientes comerciais.
Marcia apostou no estilo zen e nos materiais sustentáveis, mas sem cair na pegadinha do esotérico- ecológico meio bicho grilo. É um zen chic sem cheiro de incenso com metais nobres da marca exibidos no banheiro .
 
 
 
Cabana 
Duda Porto  ganha mais uma vez a mira dos holfotes nesta edição de Casa Cor com uma construção executada em poucos dias com estruturas metálicas e madeira e vocação nômade. O arquiteto já é especialista neste tipo de obra feita para ser transportada. 
Duda também criou uma cabana suspensa na árvore e a cabana do cachorro. Na cabana principal a ambientação elegente mostra que o perfil  nômade também pode ter bom gosto. Não é um colecionador por sua natureza, mas sabe eleger poucas e boas peças.